• Details
  • Tags
  • More

Seminário Gestão Autônoma em Arte Contemporânea TENTATIVA E ERRO. Curitiba, Brasil

Home  /  tipo de actividad  /  Current Page

DIRECTORIO_GESTIONES_AUTONOMAS_presentacion_libro_seminario_curitiba

O Seminário de Gestão Autônoma em Arte Contemporânea TENTATIVA E ERRO acontecerá no dia 26 de julho de 2014 e quer propor a reflexão sobre as diferentes formas de compreender a noção de autonomia, analisar suas relações e tensões com as instituições artísticas e apresentar modelos de gestão que operam de forma autônoma na América do Sul.

Para isso serão oferecidas ferramentas conceituais e práticas para a sustentabilidade da gestão autônoma em arte contemporânea; debates sobre as relações e complementaridades entre a gestão autônoma e as instituições artísticas; e principalmente apresentar os diferentes modelos de gestão autônoma em arte contemporânea na América Latina e verificar sua eficiência em relação a circulação, visibilidade e produção de conhecimento sob o ponto de vista das práticas estéticas contemporâneas.

O seminário acontecerá no dia 26 de julho no Estúdio Sem Título e é endereçado à gestores culturais, artistas, estudantes de arte e interessados.

As inscrições para o seminário devem ser feitas pelo e-mail arte@semtitulo.net

A atividade é autogerida e tem um investimento colaborativo para sua produção, desenvolvimento e realização no valor de R$ 165,00. A inscrição antecipada tem preço promocional de R$150,00.

O almoço está incluso graças ao apoio da Tuk-Tuk comida indiana e tailandesa.

Seminário Gestão Autônoma em Arte Contemporânea TENTATIVA E ERRO
26 de julho de 2014 das 10h às 19h no Estúdio Sem Título – R$ 165 /R$ 150 (antecipado)
Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 498 – centro, Curitiba – PR (em frente ao Solar do Barão)
Telefone: (41) 3030 6332 – www.semtitulo.net

mm

Curatoría Forense - Latinoamérica

Curatoría Forense es un grupo multidisciplinario dedicado al arte contemporáneo en América Latina. Sus actividades se iniciaron en 2005 en Santiago de Chile con el objetivo de cubrir la falencia respecto a las posibilidades expositivas de los artistas emergentes chilenos, que no estaban en condiciones de participar en la institucionalidad artística establecida. Por entonces, la misión principal era investigar en el campo curatorial, estableciendo una relación horizontal entre el productor y el curador con el fin de crear nuevas capacidades para la experimentación estética. En 2009 Curatoría Forense se convirtió en una organización nómada centrada en la investigación sobre los procesos de emergencia y consolidación de escenas locales de arte contemporáneo y sobre modelos de trabajo en gestión autónoma en la región. Este cambio implicó una innovación en su metodología de trabajo, así como en la producción de textos y actividades con el fin de entender cómo se produce el arte contemporáneo en comunidades que carecen de recursos o que poseen políticas culturales débiles para con el arte contemporáneo.


Leave a Reply